Reunião da Frente contra a Privatização do Paraná – 09 de dezembro de 2011!

***

Camaradas,
***
Ontem pela manhã, decidiu-se por fazer uma reunião para planejarmos a continuidade da luta contra a privatização/Organizações Sociais.
***
A reunião acontecerá nessa sexta, 09 de dezembro, as 17h no SENGE.
Rua Marechal Deodoro, 630 – 22º andar – Conj. 2201 – Centro Comercial Itália – Centro, Curitiba/PR
***
Os elementos que já levantamos foram:
***
– Jornal pra população falando dos problemas nas OS nos outros estados, da truculência e falta de debate na aprovação da lei e chamando para que se envolvam na luta. [ontem na atividade da tarde sugeriu-se que foquemos a distribuição dos materiais nos locais de trabalho e estudo, ao invés de fazer de forma solta na rua]
***
– Encaminhamentos jurídicos;
***
– Mobilização no Conselho Estadual de Saúde;
***
– Ver outras possíveis ações;
***

Reforçando:

O que? Reunião para dar prosseguimento a luta contra a privatização
Quando? sexta-feira, 09 de dezembro, a partir das 17h00.
Onde? no Senge: Rua Marechal Deodoro, 630 – 22º andar, Centro, Curitiba/PR

***

Frente de Luta contra a Privatização no Paraná

***

***

Projeto de OSs não foi votado em 30/11 na Assembleia Legislativa do Paraná. A matéria não voltará à pauta antes de 05/12

***

Olá, pessoal

Estivemos hoje, 30 de novembro de 2011, na sessão da Assembleia Legislativa do Paraná – ALEP.

Após um debate quanto ao PL 915/11 entre os blocos de situação e oposição ao governo executivo, o deputado Tadeu Veneri (PT) encaminhou uma questão de ordem à mesa. Lembrando que o PL 915/11 tem função de permitir que o governo estadual privatize a gestão de serviços públicos através de Organizações Sociais – OSs, exceto educação e segurança pública.

A questão de ordem consistia no seguinte: apontava que dois vetos do governador já tinham mais de 30 dias (22/08 e 23/10). Segundo o regimento interno da ALEP, os vetos devem retornar à sessão dentro do prazo máximo de 30 dias. Para Veneri, com essas pendências, a presente sessão não teria validade se continuasse.

O presidente da casa, deputado Valdir Rossoni (PSDB), resistiu muito à questão de ordem apresentada por Tadeu Veneri. Alegava que a pauta da sessão plenária havia sido anunciada no dia anterior e foi aprovada. Colocou que a questão de ordem seria verificada, e se considerada pertinente, seria contemplada apenas na segunda-feira próxima (05/12). Veneri contestou mais de uma vez, dizendo que o regimento não limita prazos para uma questão de ordem, portanto, não se poderia cobrar que tivesse sido feita no dia anterior para ser atendida. Comunicou também que se a questão de ordem não fosse apreciada de imediato, o Partido dos Trabalhadores se utilizaria de seu direito de entrar na Justiça.

Um deputado da situação, Duílio Genari, um daqueles a entrar com o requerimento de que houvesse sessão extraordinária em 30/11 (que seria transformada em comissão geral, recurso utilizado para atropelar o debate e votar o PL 915/11), pronunciou que retirava o requerimento, convencido da pertinência da questão de ordem. Mesmo assim, Rossoni insistiu no que havia dito antes.

A sessão continuou, e quando já estava entrando na nona pauta de votação, o presidente Rossoni anunciou que a questão de ordem encaminhada por Tadeu Veneri havia sido aprovada. Questionado por Veneri, Rossoni confirmou que isto impossibilitava a realização da sessão extraordinária e que o PL 915 não voltará à votação antes de 05 de dezembro.

***