Manifestação do Fórum Popular de Saúde- FOPS e da Frente Estadual Contra à Privatização do SUS em Defesa da Vida.

O crescimento do contágio pelo Coranavirus tem se dado de forma dramática em todo o estado do Paraná. Já se observa o aumento do número de casos e óbitos. Além disso, já são evidentes as elevadas taxas de ocupação de leitos e UTIs, o esgotamento das equipes e a  falta de profissionais para contratação.

O atual decreto em vigor número 1600/2020, de 27 de novembro de 2020, muda o status de Curitiba em relação à pandemia, para média gravidade – cor laranja., porém não observa as mesmas restrições da fase laranja anterior em setembro de 2020. Mantem aberto shoppings, feiras, comercio e autoriza festas natalinas.

 O poder público reconhece que os dados das últimas semanas indicavam a gravidade da situação e responsabiliza a população jovem pelo aumento do contágio, sem reconhecer o estímulo por parte das autoridades no país a este comportamento tido como “irresponsável”. Entretanto, grande parte da população que se expõe trabalha em setores que as autoridades decidiram manter sem restrições de funcionamento.

Cabe às autoridades a restrição e limitação das diversas atividades, o planejamento com previsão de contratação de profissionais, ampliação de leitos e adequação dos serviços de saúde, a vigilância epidemiológica dos casos, estratégias de comunicação e envolvimento dos diversos setores no combate a Pandemia.

Observamos que o Poder Público não tem tomado medidas para controlar a lotação do transporte coletivo, embora no início da pandemia tenham recebido recursos financeiros para ampliar  o número de veículos em circulação e permitir a adoção de medidas sanitárias adequadas.

A estratégia da Secretaria Municipal de Saúde é de restrição do atendimento, fechamento de unidades básicas de saúde, maternidades,  destinação de duas Unidades de Pronto Atendimento para atuar como retaguarda para hospitais. O redirecionamento dos usuários para outras unidades e a diminuição dos atendimentos, consultas, vacinas, obriga a população   usar o transporte coletivo para buscar serviços, agora mais distantes de suas casas; aumentando as filas e aglomerações nas unidades com consequente  aumento  da exposição ao Coronavirus.

O Fórum Popular de Saúde- FOPS vem manifestar sua profunda preocupação com os desdobramentos desta crise diante das medidas insuficientes e ineficazes anunciadas pelo Poder Público nas esferas federal, estadual e municipal e alertar a sociedade para a necessidade de uma tomada de posição exigindo que as autoridades adotem todas as medidas sanitárias necessárias e suficientes para  o controle da pandemia e a defesa da vida.

Curitiba, 07 de dezembro de 2020.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s