Movimentos sociais e sindicais debatem SUS

Qua, 01 de Dezembro de 2010 13:57

Segunda mesa do seminário, realizada no dia 22 de novembro, teve a participação de representantes do Andes-SN e CSP-Conlutas

Para dar seguimento ao seminário “20 anos do SUS” (a discussão da primeira mesa foi noticiada no Jornal da Adufrj, na edição de 24 de novembro, clique aqui), movimentos sociais e sindicais debateram “Que SUS queremos”. Participaram da mesa representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Fórum Nacional de Residentes em Saúde, Coletivo Nacional de Saúde do MST, Andes-SN, CSP-Conlutas, Intersindical e CTB.  O seminário foi organizado pela Frente Nacional contra a Privatização da Saúde. Segundo a presidente da mesa, professora Maria Inês Bravo, da Uerj, a CUT não respondeu ao convite da organização do evento.

Panorama da segunda mesa do Seminário

A professora Sônia Lúcio, 2ª vice-presidente da Regional Rio do Andes-SN, expressou grande preocupação com os rumos atuais do sistema de saúde nacional e afirmou que a responsabilidade é do sistema capitalista que tem como premissa transformar tudo em mercadoria: “Só vamos conseguir Saúde quando superarmos a sociedade capitalista e construirmos a socialista. O que de fato tem acontecido é a valorização do capital-financeiro com avanço da privatização e precarização do SUS”, desabafou.

A dirigente também falou da concepção de saúde, que engloba o pleno desenvolvimento das potencialidades humanas, com condições de habitação, renda, trabalho, lazer, acesso aos serviços de Saúde, à terra. “De tudo isso resulta o conceito de Saúde”, disse. Para encerrar sua intervenção, a professora falou da importância em fortalecer a luta em defesa da Saúde pública.

Agregar trabalhadores

A assistente social Perciliana Rodrigues, representando a CSP-Conlutas, falou que ainda há muito que fazer na luta em defesa da Saúde, especialmente no processo de mobilização dos trabalhadores: “Não é fácil transformar nosso debate político em ações de massa. É nosso compromisso conversar com cada trabalhador. O caráter classista da luta pela Saúde é fundamental”, disse.

Ainda sobre trabalho, Perciliana citou o RJU (Regime Jurídico Único) como forma de combater o sucateamento da Saúde, constantemente ameaçada por políticas de terceirização, e garantir o caráter público do serviço: “Lutar pela saúde pública é lutar por uma condição digna de vida”, finalizou.

Saúde no campo

O MST é um dos grandes movimentos sociais brasileiros que agrega a luta de trabalhadores no campo não só em defesa da terra, embora seja sua principal bandeira, mas também pela garantia dos demais direitos dos trabalhadores rurais: “A maioria deles não tem conhecimento dos seus direitos”, disse Ivi Tavares, representando o MST.

Segundo Ivi, lutar pela saúde da população é lutar também contra os transgênicos e “contra o envenenamento do solo e da gente”. “O MST luta contra o modelo econômico, que faz com que a propriedade seja mais importante que o indivíduo”. Para ela, é fundamental que campo e cidade estejam juntos na luta em defesa da Saúde.

Fóruns de Saúde

Panorama do auditório em 23/11/2010, segundo dia do Seminário

Todos os movimentos que participaram do encontro tinham, também, representação nos fóruns de Saúde espalhados pelo Brasil. O grande consenso é que o trabalho precisa ser aprofundado e estruturado na maioria dos estados brasileiros. O que se defende é um sistema de Saúde público e que dê garantias de prestação de serviços de qualidade à população com investimentos de caráter público. Há a necessidade de fortalecer os fóruns locais e de criar mecanismos de constituição de novos fóruns.

*Retirado da ADUFRJ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s